Medo

Não existe verdade na face da terra.
Eis a verdade que ativa os medos humanos,
Eis a dúvida que fere os corações.
Como confiar? Como se entregar o coração a alguém,
Depois de descobrir a verdade da existência das mentiras?

Olho para o céu, mas só vejo as nuvens,
E estas nada me falam. Nos lagos,
Somente a minha imagem eu vejo refletida,
E ela me trás ainda mais dúvidas, até que ponto,
Tudo o que tenho por verdade não passam de invenções?

Até mesmos as lágrimas de meus olhos
São conseqüências da criação de alguém,
Quem poderá me dizer que não fui eu mesma quem as criei.
Tenho medo do que não conheço, tenho medo de você!

Ser nascido do amor ou do prazer,
E que tantas vezes se perde na escuridão de tuas próprias dúvidas.
Eu sou menina deixada à mercê de meus sonhos,
Nada sei de bom sobre ti, e nem sobre mim,
Pois a vida ensina a superar as contradições dos dias,
Mas não ensina o valor de um amor real.

Eu te perco a cada dia que te vejo, pois o tempo passa e a vida se esvai.
Quero-te ao meu lado, mas não sei se um dia terei.
Tens tanto para conquistar e eu tantas lutas para vencer.
Será que um dia os céus permitiram nossa união?

E meus medos, será que me deixaram sentir a magia desse amor?
Tenho medo, mas o medo é o que me protege das lágrimas.

Você também poderá gostar...

2leep.com