Relacionamento X Envolvimento Financeiro

Talvez o título pareca estranho, porém é assim que vive grande parte dos casais.
O amor, a vontade de ser uma família, a falta de que o abraço do outro pode fazer... Tudo isso é contraditório se comparado com o envolvimento financeiro entre as partes.
Muitos não compreendem que ao se decidir unir-se a outra pessoa se predispõe também a "abrir uma sociedade".
No meu curso Técnico de Administração comentamos muito sobre o assunto que via de regra se enquadra em estudos sobre as habilidades e conhecimentos que um Administrador deve possuir para ter uma carreira e uma vida de sucesso e de equilíbrio.
Dizem as más línguas que o casamento é uma instiuição falida. Desculpe ser direta, mas o que há de errado não é o investimento (intenção de se constituir uma família se unindo em laços matrimoniais) o grande problema é que esta organização não tem pessoas gabaritadas para administrar alguns departamentos essenciais para o crescimento e estabilidade da instituição.
Calma, não estou dizendo que deva-se desistir de se casar por não haver mais companheiros que valem à pena acreditar e sonhar com um casamento lindo, lua de mel e uma casinha perfeita com almoço de domingo , filhos, cachorro, papagaio e periquito...
O que quero dizer com isso é que deve-se pegar um espelho racional e ver se Você está apto a abrir mão de muita coisa, aceitar muitas outras e viver de forma consciente, estratégica e planejada.
O casamento deveria ser tratado de forma mais séria por muitos, viver a dois nem sempre é a parte mais complicada, ter que ceder aqui e ali é só parte de um todo. É preciso ser honesto consigo mesmo e desde bem cedo saber analisar como será a união financeira do casal.
Pode parecer errado pensar em dinheiro quando se fala de amor e noite de nupcias, mas posso dizer que quando falamos de dinheiro e Administração os problemas podem demorar a ser perceptíveis, mas se a causa for por erros constantes a possibilidade de se reestruturar essa organização pode não ter resultados favoráveis a ambos os lados - infelizmente.

Gostaria de todos os futuros casais tivessem a possibilidade de separados e uma noite qualquer durante o noivado (que deve existir e ter o tempo suficiente para o planejamento, organização, preparação, montagem, quitação de débitos e replanejamento da Festa, da Montagem de Estrutura para a Nova Vida a Dois e para a definição de Metas e Objetivos do casal para os próprios anos.
Parece loucura? Eu sei e concordo, que nos dias de hoje se vê parando sequer um dia durante o noivado inteiro e conversando: "Amor, o que podemos planejar conquistar juntos em um prazo de 5 anos, e de 10 anos? E o que podemos e precisamos fazer para conseguir atingir isso?"
Acho que a geração Y não tem tempo para isso!

Só deixo uma coisa a se pensar:
Se hoje você fosse convidado a fazer parte de uma sociedade para abrir um empresa em um ramo incerto, que lidaria com diferenças diversas e que muitos diziam que tentou e não deu certo, sendo que sua colaboração para esta sociedade hoje fosse menor, porém muitos dizem que com o passar do tempo e crescimento da empresa consumiria de sua vida a maior parte do tempo e do seu capital, uma vez que esta seria parte integrante e dependente de você em alguns casos.
Como você reagiria? Diria sim apenas por sonhar ter um empresa? Aceitaria sem pensar em quanto teria que desembolsar para isso e no que isso impactaria na sua vida, na sua rotina, no seu bolso? Gastaria algum tempo estudando e entendendo primeiro ou entraria de cabeça sem nenhum receio de que pudesse dar errado?
Pense agora que esta empresa é o seu casamento e este convite é para marcar a data do cartório. 

Você também poderá gostar...

2leep.com