Crise dos 25 Anos

É... ainda to sem sono...
Sem sono e com mil pensamentos sobre a vida na cabeça.

Pesquisando no Google vi que não sou apenas eu que entre os 24 e 27 passam por uma certa crise existencial... A chamada CRISE DOS 25 ANOS, como nomearam os autores Alexandra Robbins e Abby Wilner.
Tô querendo comprar esse livro para eu ler, mas vai entrar na fila kkk

Não sei se o livro vai confirmar ou não o que eu penso sobre essa fase que passei, mas é como se eu já estivesse velha demais para ficar perdendo tempo, mas também e ao mesmo tempo, jovem demais para abandonar minha vida Pink e confortável e ter que lutar para construir um império.
Nunca eu tive tantas perguntas juntas na minha cabeça...

Faculdade, Trabalho, Carreira, Família, Casamento, Filhos, Casa, Contas, Viagens, Destino...

Meu Deus, eu pirei, de verdade!

Ano passado tive uma crise depressiva bem forte, que me fez tomar a decisão de voltar a Rio Pardo em busca de sossego para minha alma se curar. Aqui, mesmo ainda mal, consegui voltar a respirar.
Eu estava com muito medo de ser derrubada pela depressão outra vez, pois é muito triste. E ao mesmo tempo eu me sentia ainda mais vulnerável do que antes, pois tinha pensamentos horríveis e chegava a acreditar que não vale a penas viver. Em janeiro eu estava lutando contra mim mesma para controlar isso e não cometer alguma besteira, muito embora não possa dizer que tomar vários comprimidos para o coração a noite a fim de dormir o máximo de tempo possível seja algo muito prudente.
Quando o medico me indicou a Sertralina e tive receio de tomar, pois o Odair não apoiava e eu me sentia meio louca, quase que discriminada. Mas ao mesmo tempo uma certa esperança de que pudesse melhorar me fazia ansiar pela chegada do remédio, pois esperei quase 1 mês para poder pegar pelo SUS, e na verdade foi meu pai que conseguiu pra mim.
Agora, tomando o remédio e pesquisando sobre esse assunto acho que tudo possa se resumir a essa tal crise de 25 anos.
Eu entrei nessa crise sem condições algumas de passar por ela, quase como um guerreiro indo para o combate só com roupas de baixo. Lógico a tal crise me desencadeou a depressão que me derrubou pouco a pouco.
Abandonei tudo para recomeçar em Rio Pardo...
Mas ainda sinto que não comecei nada aqui!

Sei que essa é uma nova fase, sinto e vejo isso, mas ao mesmo tempo vejo que estou com uma página em branco, mas me falta a caneta para escrever e me falta inspiração para imaginar.

Ás vezes me pergunto: Como deveria ser a vida de uma jovem de 25 anos?
Lembro que me sentia um ET em Campinas, pois via as meninas saindo da faculdade com seus 21, 22 anos e eu com 24 ainda estava cursando... Conhecia tantos com 28 anos que ja tinham casa e carro, um bom namorado ou noivo, planejando seus casamentos e com um bom salario.
Mas eu estava ali parada no tempo...

Aqui em Rio Pardo as coisas são mais simples...
As meninas, em maioria, saem do ensino médio e no ano seguinte arrumam filhos ou saem do ensino médio, entram na faculdade, curtem, pegam DP, arrumam namorado só depois da formatura. É como se não houvesse pressa pra viver.. tudo ao seu tempo...

Agora entendi que todas as fases devem ser vividas. Eu carrego comigo um buraco por ter pulado certas fases, pois mesmo tentando corrigi-las eles não se fecham, vão ficar ali para sempre.
O jeito mesmo é fechar o livro dos 24 anos e começar um novo :)
Graças a Deus que o Odair me deixou fazer isso e esta me apoiando...

Me sinto de volta aos 15 anos, mas com cara e experiencia de 10 anos a mais, estou fazendo as mesmas escolhas... FACULDADE, NAMORO, ESTÁGIO...
Acho que vai ser legal esse ano.

Você também poderá gostar...

2leep.com