Resenha do vídeo do Dr Valentim Gentil Filho sobre Ansiedade, Depressão e Medicamentos


Depressão é o nome dado para algumas síndromes e que representa um conjunto de síndromes. Existem diversas classificações e há uma Síndrome depressiva muito consistente e antiga onde a tristeza é só uma das manifestações.
Basicamente a Depressão uma alteração sistêmica de ineficiência de processamento, que compromete as funções vitais, o  apetite,o sono, a concentração, a tomada de decisões, a sensação de bem estar, sensação de alegria, a sensação de prazer, entre outras.
O mais importante é saber que todas as manifestações causam sofrimento.
No Brasil, segundo a OMS são 23 milhões de pessoas com algum tipo de transtorno mental e 5 milhões delas dependem de algum tipo de ajuda. Segundo o Conselho Regional de Medicina são 9 mil onde 5 a 7 mil são especialistas em psiquiatria.
Só em São Paulo, os dados epidemiológicos da Megacit de São Paulo indica que 30% da população vai ter algum tipo de transtorno que os psiquiatras conseguem diagnosticar e catalogar, ou seja existe um quadro de desassistência fenomenal..
Em 2000 a Depressão foi colocada pela OMS como a 5ª causa de incapacitação e aponta que em 2020 seja a 2ª causa. A Previdência Social mostra que em 2012 mais de 100 mil trabalhadores foram afastados do trabalho e um crescimento de 49% de 2007 a 2011 no consumo medicamentos antidepressivos.
Existe a reincidência de doenças mentais graves esta aumentando na população, como aponta io livro “A Peste Invisível” de Judi Miller, onde aponta dados estatísticos em 5 países de 1750 até 1990 onde a prevalência de doenças mentais significativas aumentou 9 vezes. A reincidência de esquizofrenia esta aumentando principalmente na população com menos de 35 anos.
A depressão é descrita desde o Velho Testamento. Houve uma exposição do conceito de depressão, hoje existem formas de depressão reativas que passaram a serem reconhecidas, as sazonais que antes não eram bem identificadas, as que são consequência de doenças médicas, entre outras.
 A população começou a perceber que aquele sofrimento que eles tinham não era compreensível simplesmente como uma reação, pois eram tão fora do padrão delas que deveriam ser alguma coisa médica que começaram a pedir ajuda.
A indústria farmacêutica encontrou moléculas mais eficazes do que placebos, que é uma substancia inerte e isso impacta o comercio.
Houve o aumento da conceituação, isso aumenta a população, essa população pede ajuda e só um terço dessa população recebe assistência.
Existem psicoterapias muito eficientes, mas a cultura de indicação de tratamentos medicamentosos ainda é muito forte.
A falta de atitudes ecológicas quando a nós mesmos é algo assustador, não há uma Sociedade Protetora do Ser Humana. Ninguém trata com a mesma consideração o meio interno como se espera que se trate o meio externo. O Ser humano hoje tem uma resiliência melhor, mas em geral ainda deixa a desejar.
A Depressão é muito sofrida
A esquizofrenia é uma doença mental grave para a qual os psiquiatras não têm nem a cura e nem sabe dizer como surge.
O sofrimento não é um problema médico e nem psiquiátrico e sim um problema da humanidade. O sofrimento por causa de doenças mentais deve ser tratado, mas os demais casos, embora dolorosos, não cabem tratamentos médicos. Não sofrer é um problema, se é que existe o psicopata frio, pois algum grau de sofrimento eles tem. O sofrimento, com limite, é um convite para a criação, e a criação é uma forma de enfrentar e de certa forma superar o sofrimento.
Vinicius de Moraes dizia que o bom poeta precisa sofrer e ele havia deixado a poesia por ser muito feliz.
Sofrimento e infelicidade são coisas diferentes e de inicio pode-se utilizar a psicoterapia cognitiva ou psicoterapia de apoio, de análise.
O Transtorno Mental não é apenas resultado de um resultado de uma doença social, mas em alguns casos apenas as Assistência Social não resolve o sofrimento e por isso é preciso haver investigação e tratamento. Uma vez diagnosticado o problema mental, não tratar ele é omissão de socorro. Alias o filme Omissão de Socorro é espetacular, porém muito pouco divulgado, por isso a compreensão deste modelo de atendimento no Brasil é tão mal conhecido entre a população.
O luto causa sofrimento. A nova DSM5 publicada em maio de 2013 inclui o luto como uma possibilidade de depressão após a persistência após 2 semanas. Existem lutos e lutos, se ele se torna prolomgado demais ou incapacitante demais, talvez não seja apenas luto e sim talvez luto patológico. Na mesma linha temos o caso de depressão pós parto, após quanto tempo se pode dizer que é depressão ou não.
O diagnostico médico é arbitrário, depende do arbítrio de uma profissão.
Tanto o uso da maconha em fase de sinapse, como na adolescência, atrapalha o desenvolvimento intelectual, porem o ambiente também influencia. Por exemplo os gêmeos idênticos expressão diferentemente seus genes, porém quando você pega a patologia bipolar eles tem concordância de 80%, já quando pega-se outros transtornos tem uma concordância diferente, dependendo do caso até mesmo dos traumas intrauterinos.
A ignorância da psiquiatria ainda é muito grande perto de tudo a ser compreendido e desvendado.
Casos como anoxa, Mac formação e outras agreções intrauterinas como viroses fortes no terceiro trimestre aumenta o risco de esquizofrenia no adulto, e não, se vírus pode fazer isso, o que mais não pode? As nossas doenças são via final comuns.

Você também poderá gostar...

2leep.com